Seguidores

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Salão das Lendas 01 - Skodar, Guerreiro Humano 1, Criminoso em fuga!



E aí, galera!

Venho mais uma vez lançar Reviver os Mortos sobre esse meu blog. E a proposta de hoje é uma espécie de desafio auto-imposto: criar uma galeria de personagens conceitualmente compatíveis tanto com a 4ª, quanto com a 5ª edição de Dungeons & Dragons (embora, mecanicamente, possam resultar diferentes entre um sistema e outro). Sabe quando surge aquela oportunidade de jogar um RPGzinho básico, mas o tempo vai ser curto, então seria melhor ter personagens prontos? Pois é. Você vai poder recorrer a esta galeria! E se é de PdMs/NPCs que você vai precisar, não se reprima: recorra ao Salão das Lendas!!

Cada personagem virá com as fichas prontas para ambos os sistemas e terá aqui no site a sua história completa. Propositalmente, alguns detalhes que poderiam ser mais específicos podem ser deixados de lado, para que você complete com informações pertinentes ao seu cenário ou campanha.

Para dar o tiro de largada, num primeiro momento, vou me inspirar na ancestral caixa do "D&Dzinho" da Grow e aplicar umas pequenas restrições:
  1. Só personagens de primeiro nível;
  2. Na quinta edição, só valem personagens que possam ser criados pelas "Regras Básicas para Personagens", disponibilizadas gratuitamente pela Wizards of The Coast e traduzidas voluntariamente pelo grupo do Facebook D&D Next;
  3. As correspondências para a quarta edição devem ser criadas usando somente os livros que foram lançados oficialmente em português;
  4. Os personagens criados devem ser baseados nas sete Classes que existiam no antigo D&D, só por saudosismo e nostalgia :)

Futuramente, é claro, posso acrescentar aqui personagens de mais Classes, níveis mais altos, raças mais diversificadas, com características exóticas, com house rules e por aí vai.

Que os jogos comecem!!

Ficha para a 5ª edição

Ficha para a 4ª edição


História:

Filho de um soldado ambicioso e de uma bela artesã, Skodar foi criado numa cidade costeira proeminente. Porém, só conheceu amargura na sua infância, pois o pai abandonou a família quando Skodar não tinha mais que um ano, e a mãe faleceu antes de seus treze.

Há cerca de três anos, Skodar foi iniciado numa Guilda de Ladrões - não para aprender a furtar e participar de roubos intrincados, sem ser notado, mas para servir de capanga, "trabalhando" para obter dinheiro ou favores para a Guilda, através de força e intimidação. Mascarado e sempre calado (outros companheiros ficavam responsáveis pelas "negociações mais verbais"), Skodar usava sua força para causar terror e obter ouro fácil.

As atividades da Guilda começaram a ser mais intensamente combatidas e investigadas; o Mestre da Guilda decidiu, então, ordenar a todo mundo que se dispersasse e cancelou algumas atividades - incluindo a extorsão periódica de artesãos, comerciantes e fazendeiros, de que participava Skodar - por período indeterminado, até a poeira baixar.

Enquanto esperava as coisas se acalmarem, Skodar adquiriu uma pequena casa numa área de razoáveis condições de sociabilidade, na pequena cidade em que vivia. Arrumou um emprego temporário, ajudando mercadores com o carregamento de suas carroças (serviço para muita força e pouco cérebro) e tentou evitar meter-se em problemas (inclusive ocasionais brigas de taverna). Foi quando conheceu a jovem meio-elfa Katrina.

Katrina, além de bela, era graciosa no jeito de andar, delicada, simpática e extrovertida. Obviamente, capturou os sentidos de Skodar. E como se mostrou bastante inclinada a tê-lo como amigo - moravam na mesma rua - também capturou seu coração. A partir desse momento, Skodar começou a repensar sua maneira de viver, seus atos e suas inclinações.

Um curto tempo se passou e Skodar recebeu uma mensagem da Guilda, dizendo que as atividades recomeçariam. Sua missão de retorno seria auxiliar um ladrão novato (ainda em treinamento, de fato) a assaltar uma casa, enquanto seus donos não estivessem presentes. A idéia era que, se o garoto não conseguisse abrir a porta para entrar, Skodar deveria arrombá-la. E, se qualquer problema surgisse, Skodar deveria dar ao rapaz a chance de fuga. O grande problema Skodar descobriu apenas no decurso da missão: a casa que deveria roubar era a de Katrina e sua família.

Supostamente, todos os moradores estariam envolvidos numa festa de casamento de algum primo de Katrina, que duraria até tarde da noite. Ninguém estaria na casa na hora do roubo, e eles tinham apenas que roubar algumas jóias (que se acreditava que a família possuía) e sair o mais rápido possível. Só que, além de se ver em um intenso conflito moral por assaltar a casa da amada, Skodar descobriu que ela própria estava na casa, por alguma razão que ele não pôde, obviamente, descobrir.

O jovem ladrão que ele acompanhava e protegia decidiu "apagar a testemunha", para evitar problemas. Nesse momento, Skodar tomou uma importante decisão: golpeou o companheiro, fazendo-o cair desacordado e fugiu - não apenas da cena do assalto, mas também da cidade.

Longe de sua terra natal, Skodar procura agora um jeito de recomeçar sua vida. Ingenuamente, ele se mantém usando o mesmo nome que recebeu de seus pais e se põe à disposição como aventureiro mercenário nas tavernas das cidades por onde passa. Ele espera que a Guilda não deseje caçá-lo pela traição - pelo menos, não antes de ele estar pronto para enfrentá-los cara-a-cara. E espera nunca mais entregar seu coração a alguém, pois acredita que isso o tornou vulnerável a erros. Todavia, Skodar mudou sua maneira de pensar a vida, e tem a intenção de nunca mais se envolver com atividades ilegais. 




Mudanças entre Edições:

É claro que uma olhada menos que minuciosa revelará que as fichas não se assemelham, entre a 4ª e a 5ª edição, em vários aspectos. Mecanicamente, algumas mudanças bem significativas foram feitas, algumas propositalmente, outras por força de regras. Mas quero destacar as mudanças nos Atributos e nas Perícias e Proficiências.

Essas mudanças nascem dos fundamentos sobre a raça Humana, a classe Guerreiro e o Antecedente Criminoso, além de uma diferente sistemática para a compra de Atributos com pontos.
Em ambos os sistemas, adotei o conjunto padrão de valores e ordenei os Atributos com as mesmas prioridades, mas, na quinta edição, Humanos recebem +1 em todos os Atributos, enquanto na 4ª recebem +2 num só, que por força do hábito foi exatamente no Atributo Principal da Classe.

A Perícia Manha não existe na 5ª edição, enquanto na 4ª não existem proficiências para uso de ferramentas ou ‘kits’ de qualquer espécie (ao menos, não até o aparecimento das Martial Practices, no suplemento Martial Power 2, e dos Temas, nas revistas Dragon). Ainda, o Antecedente Criminoso não passa de uma ideia de um parágrafo no Livro do Jogador 2 da 4ª edição, com benefício mecânico aplicando-se, obrigatoriamente, a apenas uma de duas Perícias (Ladinagem ou Furtividade); isto é bem diferente do Antecedente mais complexo da 5ª edição, que dá a proficiência em duas perícias (Furtividade e Enganação) e uma característica interpretativa interessante.

Por fim, recorri ao Estilo de Combate da Proteção na 5ª edição, para simular a função de combate do Defensor, característica de um Guerreiro da 4ª, mas, honestamente, quando se trata de 5ª edição, esse é um Estilo de Combate muito fraco, quando se compara ao Duelista, Guerreiro de Armas Grandes, Defensor ou Arqueiro.



Comentário Bônus - O Personagem em Mystara!

É claro que eu não poderia deixar meu cenário favorito de lado por aqui. Skodar pode ser facilmente inserido no cenário, portanto, se você o conhece bem, pode usá-lo. Veja:
  • A cidade onde foi criado é Vorloi, em Karameikos;
  • O pai de Skodar era Thyatiano, a mãe, Traladarana;
  • A Guilda para a qual trabalhou era uma extensão local d'A Sociedade Velada (se você não sabe do que se trata, aguarde, pois falarei sobre as Guildas de Karameikos futuramente...);
  • Skodar fugiu para Threshold (lógico! Hehehehehehe)
Não é uma Brunea, mas o desenho é massa!

2 comentários:

Adriano Evangelista disse...

Cara gostei da construção, se não se importar posso até me inspirar nele para fazer uma PDM parecida em uma campanha que mestro na 4th ediçao pelo roll20. Vou acompanhar o blog, o conteúdo tá interessante =)

Giovane do Monte disse...

Olá, Adriano! O conteúdo aqui do Salão das Lendas é um presente para toda galera que joga D&D pelo Brasil. Querendo usar, é At-will ! :D